Você já ouviu falar da educação profissional e tecnológica e da sua importância para a formação dos alunos e economia do nosso país?

Os primeiros passos da educação profissional no Brasil foram registrados em 1900, com as Escolas de Aprendizes Artífices, e com o tempo, este modelo de educação foi evoluindo.

Garantida pela Constituição Federal de 1988 e pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), a educação profissional e tecnológica propõe a formação de cidadãos e profissionais qualificados.

Para saber todos os detalhes sobre essa modalidade da educação, continue lendo este artigo.

O que é a educação profissional e tecnológica?

Segundo as normas e diretrizes do Governo Federal, a educação profissional e tecnológica é uma das modalidades de ensino previstas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

Entretanto, o que diferencia essa modalidade de educação das demais é o foco em uma educação que prepare o aluno para o exercício das profissões, contribuindo para a construção da sociedade e dos futuros profissionais.

Nesse sentido, a educação profissional e tecnológica possui diversas faces, abrangendo cursos de qualificação, habilitação técnica ou tecnológica e de pós-graduação, promovendo a construção contínua do conhecimento.

Sendo assim, é possível dizer que essa educação é focada na construção de cidadãos para fazer parte do mercado de trabalho, preparando-os desde o ensino médio.

Por isso, é bastante comum ver que essa modalidade de educação é focada na junção da teoria com a prática, incentivando o aluno a aprender e aplicar o que foi ensinado.

Eixos da educação profissional e tecnológica

A educação profissional e tecnológica foi pensada para direcionar os alunos para as mais diversas áreas do mercado de trabalho.

Sendo assim, os cursos técnicos foram divididos em 13 (treze) eixos tecnológicos, sendo eles:

  • Ambiente e Saúde;
  • Controle e Processos Industriais;
  • Desenvolvimento Educacional e Social;
  • Gestão e Negócios;
  • Informação e Comunicação;
  • Infraestrutura;
  • Militar;
  • Produção Alimentícia;
  • Produção Cultural e Design;
  • Produção Industrial;
  • Recursos Naturais; 
  • Segurança;
  • Turismo, Hospitalidade e Lazer.

É importante destacar que estes eixos tecnológicos estão diretamente relacionados com as atividades econômicas do nosso país, promovendo assim uma política de educação, e a longo prazo, redução do desemprego.

Como aplicá-la?

Primeiramente, é importante compreender que a educação profissional e tecnológica tem como característica principal a ampla abrangência, acompanhando o aluno desde o seu ensino médio.

Contudo, essa articulação é iniciada no ensino fundamental, fazendo com que a educação seja gradativa, conforme o aluno vai avançando em sua vida escolar.

Nesse sentido, os primeiros passos da educação profissional e tecnológica estão na formação de conhecimentos básicos, também conhecido como formação inicial e continuada.

Aqui, são considerados os diversos aspectos da sociedade, fazendo com que a educação seja tanto escolar quanto social, para que o aluno tenha o conhecimento do “eu” e do “outro”.

Segundo o último Censo Escolar, a educação profissional e tecnológica atua efetivamente em três categorias, sendo elas:

  • Curso FIC integrado na Educação de Jovens e Adultos (EJA) – nível médio;
  • Curso FIC concomitante, que é aquele onde o aluno cursa o seu ensino médio regular e ainda faz um curso complementar à área de atuação desejada;
  • Curso FIC integrado na modalidade EJA – nível fundamental.

Além disso, a educação profissional e tecnológica tem uma proposta mais dinâmica e voltada para a profissionalização, fazendo com que o aluno veja a pertinência do que está sendo ensinado com a sua realidade.

Por isso, este tipo de educação recorre a diversas metodologias ativas e tecnologias em sala de aula, como, por exemplo, a sala de aula invertida e o uso de equipamentos como:

  • Mídias em diversos formatos, como imagens, vídeos e infográficos;
  • Livros digitais;
  • Materiais em sala, como projetores, computadores, tablets e lousas digitais.

Todas essas ferramentas são utilizadas para enriquecer ainda mais o processo de formação complementar e tecnológica, fazendo com que o aluno saia da sala de aula preparado para o mercado de trabalho.

Vantagens da educação profissional e tecnológica

Como dissemos, uma das maiores vantagens da educação profissional e tecnológica é a formação de cidadãos e futuros profissionais, a fim de trazer mais competitividade para o mercado de trabalho e economia.

Além disso, também podemos listar as seguintes vantagens:

  • Inserção de profissionais muito mais capacitados no mercado de trabalho;
  • Alunos mais preparados e empenhados;
  • Melhoria na competitividade e nas atividades econômicas do país;
  • Criação de uma educação mais concisa e com metodologias ativas, fazendo com que o aluno desenvolva diversas habilidades e conhecimentos.

Perceba que a educação profissional e tecnológica favorece tanto as empresas quanto os alunos, já que a educação além de formar o indivíduo, faz com que ele desenvolva novas habilidades.

Conclusão 

Podemos afirmar que a educação profissional e tecnológica é bastante vantajosa para todos, principalmente para os alunos e para a sociedade em sua totalidade.

Sendo assim, é importante que todo o processo educativo seja orientado para o uso das tecnologias e para a formação de grandes profissionais, com base no disposto pela legislação brasileira.